sexta-feira, 9 de abril de 2010

ASBIA divulga dados de comercialização de sêmen

Foi divulgado no dia 11 de março, pela Associação Brasileira de Inseminação Artificial (ASBIA), relatório da movimentação de sêmen no Brasil no ano de 2009. O forte abate de matrizes na última década, o alto preço de reposição, e a demanda global por carne bovina vêm modificando o cenário da crise financeira que atingiu diversos países. Os altos índices de comercialização de sêmen revelam que o pecuarista não deixou de investir em cria, utilizando a inseminação artificial como instrumento para aumentar sua produtividade e rentabilidade.

Conforme os dados do relatório, no geral foram comercializadas em 2009, 9.160.863 doses de sêmen, 11.65% a mais do que em 2008. No segmento de corte, a soma das raças resultou na venda de 5.213.030 doses. Segundo a associação, as raças de corte apresentaram, nos últimos dez anos, evolução de 51,9%.

De acordo com o gerente de produtos da Alta Genetics, Marcos Labury, houve uma procura acentuada por sêmen no país. "Sentimos uma explosão no mercado. Acredito que o IATF (Inseminação Artificial por Tempo Fixo) dinamizou o processo de inseminação", afirma.

O documento confirmou mais uma vez que raças zebuínas foram destaque nas vendas, e a Nelore foi responsável pelo maior número de doses comercializadas, com 2.291.025 doses no último ano. "O mercado de prova (reprodutores avaliados) também acompanhou esta alta. Hoje a procura por sêmen de touros provados é muito maior. A tendência agora é a procura por sêmen de touros bons, de prova de desempenho", explica Labury.


Mais informações no site http://www.geneticaaditiva.com.br/ .

Por Bárbara Ferragini

Nenhum comentário:

Postar um comentário