quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Programa de Melhoramento Genético da Raça Nelore

Gado Nelore

A história da genética brasileira, aplicada aos bovinos de corte ou de leite passa, obrigatoriamente, pelo Departamento de Genética e Matemática Aplicada à Biologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Em 1965, uma equipe formada por engenheiro agrônomo, geneticista e professores da USP foram convidados a criar e organizar um Departamento de Genética.

Em 1969, foi criado o Setor de Genética, Melhoramento Animal e Computação (GEMAC), dando início à formação de geneticistas de alto nível para atuação nas faculdades de ciências agrárias e veterinárias do país e da América Latina.

Em 1988, começou a ser desenvolvido no mesmo Departamento, sob a coordenação do Prof. Raysildo, o Programa de Melhoramento Genético da Raça Nelore (PMGRN).

O programa tem como objetivo traduzir os valores genéticos em expressiva melhoria também dos resultados econômico-financeiros. Assim, para demonstrar esse impacto, são utilizados critérios de avaliação que contemplam análise de indicadores econômicos, que leva a predizer situações/informações sobre o gerenciamento dos rebanhos.

Em 10 anos de aplicação do programa, muitas atividades importantes passaram a ser desenvolvidas em termos de criação e aplicação de tecnologias, como resultado da parceria criador-equipe técnica, cabendo destacar os seguintes pontos:

o utilização, desde o início do Programa, do perímetro escrotal como critério de seleção para fertilidade;
o criação do Laboratório de Micromanipulação de Embriões (1989);
o proposição do índice Fertilidade Real para descarte de matrizes (1990);
o realização de provas de ganho em peso, em 1993 e 1994, com metodologia própria: GPD400K;
o condução de Testes de Progênie com início em 1993 e 1994;
o criação do Centro de Avaliação de Touros Jovens (1995);
o início, dos trabalhos de Reprodução Programada de Touros Jovens (1995);
o lançamento do software CENSUS - sistema de gerenciamento de rebanho (1995);
o criação do MERCO - metodologia de avaliação corporal por escore (1995).

O fator de sucesso para o Programa é a interação pesquisador-criador, encampada pelos integrantes do Setor de Genética, Melhoramento Animal e Computação do Departamento de Genética.

Por Bárbara Ferragini
Com informações do GEMAC USP
Foto: Nelore Genética Aditiva

Um comentário: